quarta-feira, 25 de junho de 2008

Simplesmente genial...



Vida em câmara lenta
oito ou oitenta
sinto que vou emergir
já sei de cor
todas as canções de amor
para à conquista partir

diz que tenho sal
não me deixes mal
não me deixes...

no livro que eu não li
no filme que eu não vi
na foto onde eu não entrei
Noticia do jornal,
um quadro minimal
sou eu

vida à média-rés
levanta os pés
não vás em futebois
apesar do intervalo
que é quando eu falo
para não incomodar

não me deixes na historia
que não terminou
não me deixes

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Beijo...

Os teus lábios são um convite aos meus para molhá-los...
Lábios carnudos, provocantes...
Esses lábios colados aos meus...
Sentir o sabor da tua língua morna e turbulenta, envolvendo a minha...
Nossos sentidos, nossos corações acelerados...
A nossa união única nesse beijo, submetendo os nossos corpos às tentações
O desejo...As nossas línguas trocadas e com elas as nossas salivas... A vontade de ficar dando tempo ao tempo entregue ao momento desse beijo.
A nossa fome de boca, de tacto de língua vale por tudo... É a viagem em nós através do que possa haver de mais sublime
O beijo!

Amar...

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e a toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
durante a vida inteira é porque mente!

Há um Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
que seja a minha noite uma alvorada,
que me saiba perder...pra me encontrar...

Florbela Espanca